Expedição de Educação Ambiental no Pantanal: Apoio à comunidades em vulnerabilidade

Por 15 de dezembro de 2020Notícias

Na segunda semana de dezembro de 2020, a equipe da SOS Pantanal participou da  5ª Expedição de Educação no Pantanal, uma ação  coordenada pela 2ª Companhia de Polícia Militar Ambiental (PMA), Corumbá/MS, e pelo Instituto das Águas da Serra da Bodoquena – IASB. Também participaram da expedição o Ministério Público do Trabalho (MPT 24ª Região), Tribunal Regional do Trabalho (TRT 24ª Região), Escritório Modelo de Assistência Jurídica da Faculdade de Direito da UFMS (EMAJ/UFMS), Prev Fogo IBAMA, ECOA e Instituto Acaia Pantanal. Contamos ainda com o apoio institucional e logístico do Exército Brasileiro e da Coordenadoria Geral de Policiamento Aéreo (CGPA).

Desta vez, a expedição contemplou as regiões e Comunidades Tradicionais do Castelo, Paraguai Mirim, São Francisco, Amolar, Barra de São Lourenço e Aldeia Indígena Guató e teve como objetivo realizar educação ambiental com a população, realizar assistência social, fornecer equipamento de proteção individual a ribeirinhos e tutela jurídica em matéria de Direito do Trabalho, Assistência e Previdência Social. 

Uma ação complexa e muito necessária, uma vez que a maior parte dessas comunidades além de possuir extrema dificuldade de acesso aos serviços públicos, devido ao isolamento territorial, ainda sofreram neste ano de 2020 com os impactos da quarentena devido ao COVID 19, somados às queimadas na Região do Pantanal Sul.

Devido a grande dificuldade de acesso, algumas áreas precisam ser acessadas com helicóptero. O Cel. Gimenez abordou sobre a necessidade de se incluir esse tipo de veículo na apoio a comunidade : “o Helicóptero é um instrumento indispensável para levar cidadania a locais de difícil acesso”.

 

Ações assistenciais 

O MPT atuou na distribuição de equipamento de proteção individual para comunidades ribeirinhas que possuem como principal fonte de subsistência a coleta e venda de iscas.  Devido a todas as características únicas relacionadas a essa atividade, o uso correto dos EPI´s é fundamental para a prevenção de acidentes e doenças. 

O Instituto das Águas da Serra da Bodoquena (IASB) realizou, além da distribuição de mudas de vegetação nativa, a distribuição de computadores para as escolas da região, roupas, brinquedos e materiais para as brigadas voluntárias de combate a incêndios. Os equipamentos fornecidos, além de levar informação às famílias, promoverão melhorias para o ensino dos alunos ribeirinhos.

O Instituto SOS Pantanal, em parceria com o Instituto Neoenergia, junto ao Grupo Mil pelo Planeta e Yoga pelo Pantanal realizaram ainda a distribuição de 120 cestas básicas às comunidades. 

A Faculdade de Direito da UFMS também irá contribuir desenvolvendo atividades de ensino, pesquisa e extensão por meio de atendimentos jurídicos na área dos Direitos Previdenciários e Trabalhistas com as comunidades. Segundo o professor Aurélio Briltes essa ações proporcionarão acesso à Justiça e o mínimo existencial às comunidades tradicionais do Pantanal Sul, além de contribuir com a formação humanizada dos acadêmicos da Faculdade de Direito da UFMS.

 

Sensibilização  ambiental

A Polícia Militar Ambiental, representada pelo Cap. Diego, Comandante da Cia PMA Corumbá e Coordenador Geral da Expedição,  reforça que, além do assistencialismo, ações de educação ambiental nas comunidades pantaneiras são fundamentais para promover a sensibilização da população em relação às questões ambientais em geral. Como consequência do envolvimento das pessoas em defesa do meio ambiente, espera-se uma diminuição de infrações  e crimes ambientais. 

A PMA e o IASB distribuíram a edição 2021 do Calendário de Educação Ambiental no Pantanal, ilustrado com desenhos dos alunos pantaneiros. Este calendário, além de valorizar as escolas pantaneiras, destaca a importância da conservação do Pantanal.

O Desembargador João de Deus, que também estava presente na expedição, afirmou “a educação é o menor percurso para se reduzir as desigualdades sociais e o instrumento de propulsão de desenvolvimento de uma nação a longo prazo”.

Prevenção ao fogo

Foram realizadas pelo IBAMA/PrevFogo/MS palestras sobre prevenção e combate aos incêndios florestais e distribuídos materiais informativos sobre a formação de brigadas voluntárias. “Prevenir sempre e combater quando necessário. O Meio Ambiente agradece”.  Afirmou o Supervisor de Brigadas, Idmar Rocha.

O apoio da atriz Cristiana Oliveira

A atriz Cristiana Oliveira, que eternizou a personagem “Juma Marruá” na novela “Pantanal” também participou da expedição e usou a sua voz para dar visibilidade às dificuldades enfrentadas pelo povo pantaneiro. 

 

Ao todo foram 402 ribeirinhos atendidos durante a expedição.

Vale ressaltar que todos os protocolos de biossegurança diante da COVID19 foram seguidos durante as atividades, garantindo a segurança de todos os contemplados e da equipe realizadora.