Skip to main content

Bonito Por Natureza: Movimento reúne a sociedade para discutir a conservação da região

Qual o futuro de Bonito – MS? Com o objetivo de responder a essa questão principal, um grupo de organizações não governamentais se mobilizou para realizar o 1º Encontro de Turismo e Conservação de Bonito, para tratar esse assunto que é crucial para uma das cidades mais ricas de belezas naturais do mundo! O evento ocorreu neste último dia 22 de outubro de 2021,  na Câmara de Vereadores da Cidade, com transmissão online. Participaram do encontro representantes dos setores públicos, empresários e entidades não governamentais, abordando discussões importantes para a conservação do patrimônio natural da região e os impactos negativos da depredação ambiental na economia local.

O encontro teve a mediação feita pela jornalista Sônia Bridi, conhecida por sua forte atuação em assuntos sobre o meio-ambiente e a conservação da natureza, e a atriz Cristiana Oliveira, intérprete da personagem “Juma”, na novela Pantanal, como madrinha. “É hora de Bonito repensar o futuro e por isso tenho orgulho de ser madrinha desse movimento”, concluiu a atriz.

Cristiana Oliveira em seu discurso de abertura do evento. (Multifrequência/Acervo Bonito por Natureza)

Temas abordados

O evento começou com a apresentação dos dados do desmatamento e ocupação do solo na região pelo Marcos Rosa, diretor técnico do Projeto MapBiomas. “O desmatamento tem que parar. Se não recuperar a área que desmata, não vai plantar soja, não vai vender gado”, ressaltou.

Marcos Rosa – MapBiomas – Apresentando dados sobre a cobertura do solo em Bonito. (Multifrequência/Acervo Bonito por Natureza).

“Quanto vale ser Bonito?”. Com essa indagação, o macroeconomista ambiental Cadu Young norteou a sua apresentação sobre a importância do turismo e da manutenção do patrimônio natural da região para a economia local. Por meio de comparativos de outras formas de atividades econômicas, Cadu demonstrou que o turismo de natureza possibilita crescimento econômico e desenvolvimento social significativo, além de provar que a análise de custo-benefício reprova o desmatamento. “Todo mundo perde com o desmatamento de Bonito”, enfatizou.

Gabriel Adami, do movimento Fridays for future, deixou uma reflexão para os participantes sobre o que as crianças e a juventude esperam de Bonito no futuro. “Fechar os olhos para o que está acontecendo é um ato de covardia. A gente quer uma cidade que seja bonita por natureza, fazendo jus a seu nome. Depois de anos de negligência com as políticas ambientais, como esse tesouro será entregue para nós? Conservem e se mobilizem pela riqueza que é esse lugar. Esse é o nosso pedido”, conclui.

Gabriel Adami em sua fala ao lado das crianças do Instituto Família Legal e Grupo Escoteiro Rincão Bonito. (Multifrequência/Acervo Bonito por Natureza)

Representantes do Ministério Publico levantaram a questão da existência da lei da Mata Atlântica e seu descumprimento, já que 88% desse patrimônio já foi desmatado. Também falaram da importância de a população estar ciente dessa legislação e da criação de uma força-tarefa de identificação dos principais degradadores ambientais da região. “A Mata Atlântica é um patrimônio nacional e deve ser preservada por lei”.

O evento contou também com depoimentos e mensagens de empresários locais, do presidente da Gol Linhas Aéreas, Paulo Kakinoff, da Secretária Municipal de Turismo de Bonito, Juliane Salvatori, do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, além dos senadores pelo estado do Mato Grosso do Sul, Simone Tebet e Nelson Trad.

 

Carta de Bonito

Ao final das apresentações, com o objetivo de dar encaminhamento prático a todas as discussões levantadas ao longo do evento, Angela Kuczach, diretora da Rede Pro Unidades de Conservação e Mario Mantovani, Diretor da Fundação SOS Mata Atlântica fizeram a leitura da proposição da Carta de Bonito, um documento para alinhar as proposições e necessidades do movimento Bonito por Natureza.

O documento será apresentado por representantes das instituições envolvidas no evento durante a 26° COP (Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas), que será em Glasgow, na Escócia.

Confira as 8 medidas que constam na carta:

1. Zoneamento Econômico-Ecológico (ZEE): Instrumento da Política Nacional do Meio Ambiente para delimitar a proteção de recursos hídricos e remanescentes de vegetação nativa, especialmente de Mata Atlântica.

2. Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica (PMMA): Criação e implementação do Plano para evitar a continuidade do desmatamento e possibilitar captação de recursos financeiros para projetos de conservação.

3. Proteção das Áreas Úmidas: Por meio da criação de Unidades de Conservação ou através de declaração de espaços na condição de Área de Preservação Permanente.

4. Técnicas para uso e conservação do solo na agropecuária: Adoção das melhores técnicas disponíveis para uso e conservação do solo, impedindo processos erosivos.

5. Cumprimento da Lei Estadual de Faixa de Proteção Especial de 150 metros: Regulamentação e cumprimento da Lei Estadual n 1.871/98, que criou a Faixa de Proteção Especial de 150 metros para cada margem dos Rios Prata, Formoso e afluentes.

6. Conservação do Solo Cárstico: Estabelecimento e aperfeiçoamento de medidas para conservar, proteger e limitar o uso do solo cárstico.

7. Utilização de Instrumentos Econômicos para Conservação: Implementação do Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) aos proprietários rurais que conferem proteção ao meio ambiente além do patamar mínimo exigido pela legislação

8. Priorização de Verba para Projetos de Recuperação e Proteção: Utilização de verbas oriundas de medidas compensatórias, termos de ajustamento de conduta, licenciamentos ambientais e ICMS Ecológico para recuperação e proteção ambiental.

O 1º Encontro de Turismo e Conservação de Bonito foi promovido pelo Instituto Raquel Machado, Observatório de Justiça e Conservação (OJC), Fundação Neotrópica do Brasil, Coletivo Unidos da Serra da Bodoquena e SOS Pantanal, além de contar com o apoio da ABRAMPA (Associação Brasileira do Ministério Público para o Meio Ambiente), Fundação SOS Mata Atlântica, Rede Pró UC, Instituto Homem Pantaneiro, Onçafari e empresários apoiadores de todo o Brasil.

O evento contou com a presença de mais de 80 pessoas presencialmente. (Multifrequência/Acervo Bonito por Natureza)

 

Você pode conferir o evento completo no link abaixo:

 

Close Menu