Skip to main content

Tuiuiú: a ave símbolo do Pantanal

Por 28 de fevereiro de 2019agosto 6th, 2021Animais do Pantanal, Aves do Pantanal, Pantanal

Tuiuiú (Jabiru mycteria), ave símbolo do Pantanal. A espécie está na categoria pouco preocupante da Lista Vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês) – Foto: Andreas Trepte, www.photo-natur.net/Creative Commons

O tuiuiú (Jabiru mycteria) é uma cegonha encontrada desde o sul do México até o norte da Argentina, mas 50% da população está no Brasil, principalmente na planície pantaneira. Com pernas longas, bico comprido, cabeça preta, corpo branco e uma faixa vermelha no pescoço, é uma ave que, definitivamente, marca presença. Por ser uma cegonha, voa com suas pernas e pescoço esticados, diferentemente das garças, que tem seus pescoços encolhidos durante o vôo.

Chega a 1,60 metros de altura e impressionantes 3 metros de envergadura, além de pesar até 8 kg. É a maior ave da maior planície inundável do mundo com a capacidade de voar. Não é a toa que o tuiuiú é considerado o símbolo do Pantanal. E é oficial, segundo a Lei 5950/1992.

Sua alimentação é basicamente composta por moluscos, peixes, répteis, insetos e até pequenos mamíferos. Podem também se alimentar de pescado morto, ajudando a evitar que peixes que morrem por falta de oxigênio nas épocas de seca entrem em estado de putrefação.

O Tuiuiú se alimenta de peixes, moluscos, répteis, anfíbios, insetos e até pequenas aves e mamíferos – Foto: Francesco Veronesi/Creative Commons

Mas não se engane! Como é encontrado em diferentes partes do Brasil, acabou recebendo vários denominações: jaburu, jabiru, jaburru, tuim-de-papo-vermelho, tuiuguaçu, tuiú-quarteleiro, tuiupara, rei-dos-tuinins, cauauá… Todos esses nomes pertencem ao Jabiru mycteria.

Durante a temporada reprodutiva, os tuiuiús dançam em dueto, batendo seus longos bicos até formarem um casal, que ficará unido para o resto da vida. Macho e fêmea levam gravetos para uma árvore alta até que a estrutura seja grande o suficiente para suportar toda a família. Os ninhos de tuiuiús são as maiores estruturas do Pantanal construídas por aves.

Os ninhos dos Tuiuiús são as maiores estruturas construídas por aves no Pantanal. Em média possuem 1,85 metros de diâmetro, mas podem chegar a até 3 metros – Foto: Gustavo Figueirôa

A chegada dos filhotes coincide com a baixa das águas, momento em que muitos peixes ficam presos nas baías e corixos e há abundância de comida. Mãe e pai se revezam para cuidarem dos filhotes, trazendo alimento, água e, quando o sol está muito forte, abrem as asas para fazer sombra nos pequenos.

Após 3 meses os filhotes saem dos ninhos e acompanham os pais nas primeiras semanas de vida. Porém, como um bom residente que conhece a própria casa, o tuiuiú se adaptou ao ciclo das águas do Pantanal. Assim que as poças começam a secar e a comida fica escassa, as aves migram para algum lugar onde possam pescar novamente. Mas o casal irá voltar para reforçar seus laços e usar o mesmo ninho no ano seguinte.

É comum ver grupos grandes de tuiuiús, outras cegonha, como o cabeça-seca e garças em Lagoas e poças na temporada de seca no Pantanal - Foto: Charles J Sharp/ Creative Commona

É comum ver grupos grandes de tuiuiús e outras aves pernaltas procurando alimento em baías (como os lagos são chamados pelos pantaneiros) na temporada de seca no Pantanal – Foto: Charles J Sharp/ Creative Commons

 

E ai, imaginou que eles são tão incríveis assim?

DOE VOCÊ TAMBÉM PARA OS ANIMAIS DO PANTANAL

Um comentário

Close Menu