Expedição Pantanal 2019 | FASE 2: Rio Negro

Por 13 de dezembro de 2019novembro 30th, 2020Conservação, Expedição Pantanal 2019, Pantanal

Como você já sabe, a Expedição Pantanal 2019 foi um verdadeiro sucesso! Nossa equipe passou 25 dias visitando os principais projetos de conservação e pontos de ecoturismo da região,  com o intuito de aproximar laços e auxiliar na promoção do desenvolvimento sustentável do Pantanal. Ao todo, foram mais de 5.000 km percorridos por terra, mais de 600 km percorridos por rios, 11 municípios, 20 empreendimentos ecoturísticos e 11 projetos de conservação visitados!

Foto: Instituto SOS Pantanal

Após a passagem por Campo Grande, seguimos para Aquidauana, na região do Pantanal do Rio Negro. No veículo fornecido pela Fundação Toyota do Brasil, rodamos tranquilamente Pantanal adentro, por muitas horas, até chegar na Fazenda Vera Lúcia, nossa primeira parada no território. 

 

PROJETO ONÇAS DO RIO NEGRO 

A Fazenda Vera Lúcia, por onde iniciamos a segunda fase da Expedição, fica na região de Nhecolândia, próxima ao Rio Negro. Lá, nós tivemos o prazer de visitar o Projeto Onças do Rio Negro, que possui um criadouro de onças conservacionista. Apesar de não ser um atrativo aberto ao público, nós pudemos visitar e conhecer as onças, com o intuito de aprender mais sobre o incrível trabalho realizado e auxiliar na divulgação de informações e/ou criação de conexões. 

Foto: Instituto SOS Pantanal

O Projeto tem como missão primária estudar, monitorar e conservar as onças-pintadas da região do Rio Negro no Pantanal Sul. Para atingir tal objetivo, seguem em busca de respostas para as seguintes perguntas: 

 

  1. Quantas onças vivem na região?
  2. Quais são as onças?
  3. Qual o tamanho do território delas?
  4. Elas usam muito o rio?
  5. Do que se alimentam?

 

Além do mais, a região também possui duas excelentes pousadas e uma escola. Pensando nisso, o Projeto gera conteúdo que pode ser aproveitado pelos hóspedes que visitam a área e pelos alunos ali residentes. Eles acreditam, assim como nós, que o ecoturismo e a educação ambiental são ferramentas poderosíssimas para salvar a onça-pintada e a natureza.

Foto: Onças do Rio Negro/Instagram

 

FAZENDA BARRA MANSA 

Seguindo nosso roteiro pela região da Nhecolândia, visitamos a Fazenda Barra Mansa. 

Ela foi fundada por Aniceto Rondon, na década de 40, quando recebeu as terras como herança de família. Aniceto era primo do Marechal Cândido Rondon, lendário desbravador do oeste brasileiro e pioneiro na proteção de comunidades indígenas locais. Jandyra, esposa de Aniceto, era apaixonada por artes plásticas, música e poesia, e nomeou o local de Barra Mansa, por estar localizada numa suave curva do Rio Negro.

Com vários quartos e espaços de convívio em comum, a sede era o refúgio de toda a família durante as férias. Em determinado momento, despertou-se a vocação turística da fazenda, que sob o comando do premiado músico e compositor Guilherme Rondon, neto de Aniceto, abriu as porteiras para receber visitantes em 1996. O tradicional jeito de acolher dos Rondon de Barros está presente até hoje na receptividade dos donos e colaboradores da Fazenda Barra Mansa. 

Conversa com Guilherme Rondon. (Foto: Instituto SOS Pantanal)

Enquanto visitávamos o local, tivemos a honra de trocar experiências com o Guilherme Randon, que nos ensinou sobre as forças e fraquezas do ecoturismo na região, principalmente por conta da localização remota. Nos mostrou que há diversos obstáculos, (os quais lutaremos em conjunto para superar) mas por acreditar no ecoturismo como ferramenta para promoção da conservação pantaneira, a Fazenda Barra Mansa segue trabalhando diariamente. 

Foto: Instituto SOS Pantanal

 

FAZENDA BARRANCO ALTO 

Além da Barra Mansa, nós também tivemos o prazer de conhecer mais de perto a Fazenda Barranco Alto, que se posiciona como a melhor pousada ecológica do Pantanal. Localizada também na região de Ecolândia, a Fazenda proporciona uma experiência de ecoturismo totalmente personalizada e singular. Oferece diversas atividades turísticas, dando ao hóspede a flexibilidade de cavalgar mais de uma vez, relaxar sozinho em uma praia ou pescar, além dos safaris, passeios de barco e/ou canoagem.

Foto: Fazenda Barranco Alto/Site

A Fazenda Barranco Alto tem um compromisso permanente com a proteção das espécies nativas e da natureza como um todo. Busca atingir este objetivo não somente com um turismo restrito e uma pecuária de pegada ecológica mínima, mas também por meio de uma política ambiental adotada por todos os colaboradores do local. 

Foto: Fazenda Barranco Alto/Site

Durante nossa visita, conversamos com vários desses colaboradores. O Stephan, por exemplo, que é guia turístico da Fazenda há vários anos, trocou a possibilidade de viver na Inglaterra para firmar-se como guia no Pantanal. É apaixonado pelo local, pela vasta biodiversidade e dedica sua vida para mostrar às pessoas tamanha riqueza! 

Confira o episódio completo dessa fase em nosso canal no Youtube: