O PANTANAL PRECISA DE VOCÊ

Informar e promover o diálogo para um Pantanal sustentável.

VOLTAR

Microrregiões Pantaneiras: Pantanal de Paiaguás

Apesar de ser um bioma único, o Pantanal é formado por 11 microrregiões! Cada uma possui diferentes características naturais e geográficas. E para que você conheça todas, nós explicaremos uma a uma no decorrer do tempo. 

Junto do Pantanal de Nhecolândia, Paiaguás desponta entre as maiores sub-regiões do Pantanal Matro-Grossense. Ambas ficam localizadas na planície sedimentar do rio Taquari e apresentam características bastante interessantes. Mas, como você já conhece a Nhecolândia, hoje vamos falar sobre o Pantanal de Paiaguás!

Pantanal de Paiaguás

A região de Paiaguás é conhecida por apresentar umas das cheias mais intensas do Pantanal. Justamente por situar-se entre os rios São Lourenço, Taquari e Itiquira, os alagamentos chamam atenção entre os meses de novembro e abril.

Foto: Sindicato Rural de Bela Vista

Outra característica natural que se destaca na região é o solo. Normalmente, a área apresenta solos extremamente arenosos – com fertilidade que varia de muito baixa à média -, dificultando a progressão de alguns modelos econômicos comumente desenvolvidos no Pantanal. A pecuária, por exemplo, acaba sendo prejudicada pela deficiência nutricional do solo e baixa taxa de natalidade do gado. Por conta disso, a EMBRAPA/UEPAE de Corumbá vem realizando trabalhos de solos, forrageiras (nativas e cultivadas) e bovinos de corte (manejo, minerais e helmitos), além de fomentar ações que movimentam a economia local.

Foto: BeefPoint

O assoreamento do rio Taquari   

Um dos fenômenos naturais que mais preocupam os moradores e produtores regionais é o assoreamento do rio Taquari. Por conta desse processo – que resulta no acúmulo de sedimentos (areia, terra, rochas), lixo e outros materiais levados até o leito dos cursos d’água pela ação da chuva, do vento e, principalmente, do ser humano – suas margens são rompidas e deixam milhares de hectares de terra permanentemente sob a água. 

 

Foto: Ecoa

Além dos prejuízos ambientais, os danos econômicos também são bastante notáveis. Segundo um levantamento realizado pela Embrapa, mais de R$ 1,2 bilhão de reais já foram perdidos somente na pecuária, por consequência da retirada ou morte das cabeças de gado. Já a indústria pesqueira, que nos anos 70 produziu cerca de 6oo mil toneladas/ano, hoje não chega a 10% deste valor! 

Um dos maiores canais que se romperam foi o arrombamento do Caronal, na região de Paiaguás. Lá, a água tomou conta de diversas propriedades, se alastrando pelos campos e levando consigo tudo havia pela frente. Muito triste! 

“Ruivaldo, o homem que salvou a terra.” | Foto: Luciano Candisani

Mas, dentre tantos acontecimentos negativos, há uma pontinha de esperança! Nosso parceiro Documenta Pantanal produziu o filme “Ruivaldo, o homem que salvou a terra”, onde conta a história de um guerreiro do Pantanal, cuja vida é dedicada à salvação de terras perdidas pela inundação permane. O documentário estreou recentemente e foi um verdadeiro sucesso! Para saber mais sobre a obra, acesse o link oficial

Ótimo destino para os amantes de natureza

Para quem gosta de ecoturismo, principalmente as modalidades aquáticas, o Pantanal de Paiaguás pode ser o destino certo! Alguns roteiros de passeios oferecidos na região apresentam atividades incríveis, como caminhada ecológica, flutuação (snorkelling); tour fluvial pelo Rio Paraguai – Serra do Amolar e Pantanal do Paiaguás, cavalgada e birwatching (observação de aves). 

Foto: Extremos

O contato com fauna, flora e cursos d’àgua pantaneiros, especialmente na região de Paiaguás, são capazes de renovar e recarregar as energias de qualquer ser humano. A experiência é fantástica e singular! #Partiu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *