O PANTANAL PRECISA DE VOCÊ

Informar e promover o diálogo para um Pantanal sustentável.

VOLTAR

Queimadas na Serra do Amolar: Pior seca da história provoca fortes incêndios mais cedo no Pantanal

Pouco tempo depois das queimadas que assolaram o Refúgio Ecológico Caiman em 2019, tristes notícias envolvendo o fogo voltam a assombrar os pantaneiros. Focos de incêndio no Pantanal já tiravam o sossego dos moradores desde março, mas nos últimos dias a situação tomou proporções exacerbadas. É com muita dor no coração que relatamos  uma realidade preocupante. Vemos novamente cenas que nem chegaram a cicatrizar em nossas memórias. 

De acordo com dados divulgados no portal Campo Grande News, os focos de queimadas no município de Corumbá saltaram de 150 para 258 em apenas 24 horas! Nosso parceiro e presidente do Instituto do Homem Pantaneiro, coronel Ângelo Rabelo, definiu o cenário como “crítico” após a aeronave do Corpo de Bombeiros ter sobrevoado a região.

Fogo atingindo a Serra do Amolar. Fonte: IHP

ESFORÇOS PARA SALVAR A SERRA DO AMOLAR 

Hoje, a maior luta é para que o fogo não devaste a Serra do Amolar, área que abriga o Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense e três reservas particulares do Patrimônio Natural. A região é uma das mais importantes para a conservação da biodiversidade no bioma. 

Uma força tarefa que une militares do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e do Distrito Federal, brigadistas contratados pela Instituto do Homem Pantaneiro, juntos do Instituto Acaia e dos Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Marinha do Brasil, Governo do Estado MS, ICMBio e Ibama (Prevfogo) vem trabalhando todos os dias para minimizar os danos causados pelo fogo. Rabelo também afirmou que mais brigadistas estão sendo contratados em uma ação do IBAMA, assim como mais um helicóptero deve se juntar ao combate em breve.

Fonte: IHP

Vale ressaltar que os incêndios são problemas recorrentes no Pantanal, principalmente na Serra do Amolar. Para combatê-los, é preciso criar soluções ainda mais eficientes do que as que já existem. No ano de 2006, a Secretaria do Meio Ambiente (SEMA), Ibama, juntamente com o Ecoa, Parque Nacional do Pantanal Matogrossense e Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (IMASUL), desenvolveram uma brigada contra queimadas. Ela foi formada pela população nativa, pois são os mais impactados pelo fogo, além de conhecerem a região e proximidades como ninguém. 

No entanto, por mais que profissionais e moradores estejam engajados para exterminar os focos de queimadas e consigam minimizar os danos, a maior concentração de tempo, verba e energia deve ser para planejar estratégias de prevenção. Estratégias, essas, que devem se manter ativas durante o ano todo e que tem como principal foco a conservação. 

PIOR SECA DA HISTÓRIA 

Infelizmente, o tempo seco e o vento se tornam o combustível perfeito para as chamas, que aos poucos varrem a beleza cênica do bioma. Considerado o pior período de seca da história recente do Pantanal, o clima favorece a dispersão do fogo, que começou cedo no bioma. Ainda nem estamos perto dos períodos mais críticos da seca, significando que o pior ainda está por vir.

“O que aconteceu em março e vem acontecendo em abril é algo que nós esperávamos que só acontecesse a partir de junho. Nós estamos com indicadores que apontam quase dois meses de antecipação do tempo seco. Não temos ainda elementos suficientes pra decretar emergência, mas já tivemos de tomar algumas medidas emergenciais imediatas em reação ao que foi detectado”, afirma o secretário Jaime Verruck, da Semagro – Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar. 

Muitos proprietários de terra e moradores do Pantanal já estão se preparando para os próximos meses, atuando na prevenção de incêndios. 

Incêndio atingindo a Baía Vermelha, na Serra do Amolar. Fonte: IHP

Cada dia que passa, notamos que nossos esforços de conservação do bioma se fazem ainda mais necessários. Cuidar da biodiversidade e de tudo que ela nos proporciona é uma obrigação! Quanto mais atenção dermos à natureza enquanto ela ainda está em seu estado original, menores serão as chances de sofrer com fenômenos como estes. 

Continuaremos informando sobre os incêndios no Pantanal. Compartilhe com mais pessoas Essa mensagem precisa chegar no máximo de pessoas possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *