O PANTANAL PRECISA DE VOCÊ

Informar e promover o diálogo para um Pantanal sustentável.

VOLTAR

Pantanal: o destino perfeito para as aves migratórias

Segundo biólogos que estudam a área, mais de 600 espécies diferentes de aves já foram cadastradas no Pantanal! Entre elas, o Tuiuiú, animal símbolo da região e muitas outras. Mas, você sabia que além das aves que aqui se fixam durante todo o ano, existem outras espécies que atravessam o continente nesta época do ano em busca de um clima adequado para descansar, se alimentar e reproduzir? Por conta de suas características ambientais e localização geográfica, o Pantanal torna-se o lugar ideal.

Conheça algumas dessas aves migratórias, que contribuem consideravelmente para a diversidade da fauna mato-grossense:

ÁGUIA-PESCADORA (Pandion haliaetus)

Águia-pescadora observando o ambiente. (Foto: “Mike” Michael L. Baird)

A ave, que é originária da América do Norte, viaja centenas de quilômetros em busca de temperaturas mais amenas. Então, aqui se sente mais confortável para repor as energias e retornar renovada ao seu habitat natural.

AVE TALHA-MAR (Rynchops niger)

Aves talha-mar procurando suas presas na água. (Foto: Creative Commons)

Segundo os biólogos, a ave talha-mar viaja pela América do Sul, partindo para o Pantanal em busca de abrigo, nesta e outras épocas do ano, retornando logo após suas “férias” para o local de origem.

BATUIRUÇU (Pluvialis dominica)

Ave Pluvialis Dominica, também conhecida como Batuiruçu. (Foto: Creative Commons)

Estudiosos acreditam que essa ave migre para suas áreas de invernada, localizadas na parte central da América do Sul. Assim espera-se, inclusive, que além dos indivíduos migrantes, ocorra também alguns potenciais residentes do Pantanal durante o inverno austral.

MAÇARICO-DO-CAMPO (Bartramia longicauda)

Observação da ave maçarico-do-campo no Pantanal. (Foto: Creative Commons)

A ave, que costuma fazer seus ninhos e se reproduzir na América do Norte, migra em direção aos ecossistemas campestres após a fase de reprodução. Assim como muitas espécies, pode ocorrer no Pantanal apenas como uma ave migratória ou como residente durante o inverno.

 

COMO SÃO REALIZADOS OS ESTUDOS?

Os principais métodos de estudo utilizados pelos profissionais são:

Percursos sobrevoados: As amostragens são realizadas a partir de uma aeronave que sobrevoa toda a região, enquanto dois observadores gravam com o auxílio de equipamentos de vídeos.  

Análise de dados: Com base nas informações coletadas, é feita uma análise da composição e quantidade das espécies, avaliação das riquezas, quais são elas, como se comportam, além do status de reprodução e alimentação de cada uma.

 

No fim das contas, todo o conhecimento obtido por meio desses estudos, tornam-se elementos fundamentais para a conservação da biodiversidade na região do Pantanal. Os dados podem ser utilizados para os mais diversos fins, como   planejamento de unidades de conservação, turismo ecológico, manejo dos recursos, controle da atividade de caça, melhoria das atividades industriais e etc, auxiliando nos esforços de proteção do bioma.

 

Fonte: WWF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *